CÁLCULOS RENAIS À VISTA

A incidência de cálculos Renais aumenta em 30% no verão. Veja como prevenir-se dessa doença que atinge 15% da população brasileira

Por Redação em 11/12/2018 às 14:10:46

Fonte: Freepik

Embora o cálculo renal atinja mais homens do que mulheres, os quadros de litíase renal aumentam em média 30% nos meses mais quentes do ano. Isso acontece porque as pessoas transpiram mais e não ingerem liquido o suficiente para compensar. Ao perder liquido por outras vias, a urina fica concentrada e as substâncias que normalmente são excretadas acabam retidas, formando as pedras. Outro agravante, é que durante o verão, as pessoas aumentam a ingestão de alimentos ricos em sódio como amendoins, queijos, calabresa, salgadinhos industrializados entre outros alimentos que são comumente consumidos em bares, praias e clubes. Alterações metabólicas, histórico familiar, hábitos de vida, obesidade, resistência à insulina e alimentação inadequada são fatores que podem levar à formação de pedras nos rins.

Aproximadamente 15% da população brasileira apresenta cálculos renais e a chance de reincidência é enorme. Metade das pessoas que algum dia tiveram cálculo renal, poderão desenvolver novos cálculos. Geralmente, 85% dos cálculos renais são à base oxalato de cálcio, ou seja, a pedra se forma a partir da excreção de cálcio pela urina. Quem ingere mais proteínas, carnes e derivados do leite tem maiores chances de desenvolver cálculos à base de oxalato de cálcio.

A maioria dos cálculos renais não causa sintomas até ao momento em que o cálculo se desloca para as vias urinárias. Nesse ponto, a dor é muito intensa e incapacitante. Como regra, inicia-se nas costas e irradia em direção à virilha, variando em função da localização do cálculo. A dor da cólica renal gera uma grande agitação e não tem nenhuma posição de alívio. Pode vir acompanhada de náuseas e vômitos. O tamanho do cálculo influencia na intensidade da dor.

O diagnóstico pode ser feito através de exames de imagem como ultrassonografia do rim e da bexiga. Os tratamentos variam de acordo com o tamanho, a localização do cálculo e as condições de cada paciente.

Prevenção:

- Beber muita água, entre dois e três litros por dia;

- Reduzir as quantidades de sal e proteína animal, inclusive a manteiga;

- Beber sucos cítricos, pois ajudam a impedir a formação de pedras;

- Não consumir alimentos processados ricos em sódio, como caldos prontos, molho shoyo, sopas de pacote, macarrão instantâneo, refrigerantes e sucos artificiais.

Tratamento:

Nos países mais desenvolvidos, a intervenção cirúrgica é a última opção prescrita pelos médicos. A dor é contida com analgésicos, anti-inflamatórios específicos e também são recomendados chás, produtos naturais e dieta. Sabe-se que 90% dos cálculos renais são expelidos naturalmente. Quando os cálculos são maiores e não conseguem ser eliminados de maneira natural é indicado a Litotripsia, que consiste em ondas de choque direcionadas para o local onde está o cálculo. Dessa forma o cálculo é quebrado em pequenos fragmentos poderão ser eliminados com mais facilidade. Se após a Litotripsia os cálculos não forem eliminados, a cirurgia é recomendada. Porém, a remoção cirúrgica é recomendada apenas em casos extremos.

Veja alguns produtos naturais comumente utilizados para eliminar os cálculos renais:

- Chá de Quebra-Pedra

- Ché de Cramberry

- NQI (Suplemento alimentar em cápsulas)

- Litotrips (Citrato de Potássio em cápsulas)